Social Icons

Pages

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Dor Pelvica: A Popular 'Dor no Pé da Barriga'

do UNIVERSO FEMININO


Quem não se lembra deste dia no Universo Feminino, em que o Dr. Daniel Habib explicou sobre a dor pelvica, na coluna de videos, 'Ginecologista Explica', depois desta explicação em video do médico ginecologista e obstetra, Dr. Daniel Habib, leitoras publicaram comentários, enviaram e-mail com dúvidas a respeito da dor Pelvica, para melhor informar as leitoras do Universo Feminino fomos atrás de respostas para frequentes dúvidas, e iniciaremos no Universo Feminino o especial 'Dor Pelvica: A Dor no Pé da Barriga'.


A Dor Pelvica





O Que é a Dor Pelvica?


A dor pélvica é o termo geral para descrever dor que ocorre principalmente ou somente na área do abdômen inferior. A dor pélvica pode ser contínua, ou ir e vir. Em alguns casos, a dor pode ser severa e atrapalhar atividades cotidianas. Em outros casos, a dor pélvica pode ocorrer somente durante a menstruação. Dor pélvica também pode acontecer durante o intercurso sexual. A pélvis, que contém o útero, as trompas de Falópio, os ovários, a vagina, a bexiga e o reto, é a parte inferior do tronco, localizada abaixo do abdómen e entre ambas as ancas. As mulheres sentem frequentemente dores nessa zona, cujas características e intensidade são variáveis e, por vezes, é difícil conhecer a sua causa. Com frequência, mas nem sempre, a dor pélvica é associada a problemas relacionados com o aparelho reprodutor. Outras causas de dor pélvica têm que ver com os intestinos ou com as vias urinárias. Os fatores psicológicos podem piorar a dor ou, inclusivamente, provocar uma sensação dolorosa sem que exista nenhum problema orgânico subjacente.


“Essa dor pode ser causada tanto pela contração da musculatura do assoalho pélvico como pela alteração da função intestinal, por problemas de cistos no ovário, miomas, infecções na região da pelve e endometriose”, explica a ginecologista Dra. Rosa Maria Neme, graduada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, com residência médica e doutorado em Medicina na área de Ginecologia pela Universidade de São Paulo e Diretora do Centro de Endometriose São Paulo, clínica especializada no tratamento da doença.


Diganóstico


Quando uma mulher sente, repentinamente, uma dor muito intensa na parte inferior do abdómen ou na região pélvica, o médico deve decidir com rapidez se se trata de uma situação urgente que requer cirurgia imediata. Exemplos são a apendicite, a perfuração do intestino, uma torção de um quisto do ovário, uma gravidez ectópica e a rotura de uma trompa de Falópio.


Muitas vezes o médico pode determinar a causa da dor a partir da descrição que a paciente faça dela, ou seja, se é pungente ou surda, em que circunstâncias se sente (se começou de repente), quanto tempo dura e onde se localiza. Os sintomas que a acompanham, como febre, náuseas ou vómitos, podem ajudar a fazer o diagnóstico. Para tal, a informação sobre o aparecimento da dor em relação com as refeições, o sono, as relações sexuais, o movimento, a micção e a defecação também pode ser útil.


Em seguida, o médico faz um exame físico. O exame pélvico (por dentro) que deve sempre fazer parte da análise de uma dor pélvica, ajuda a determinar que órgãos são afetados e se existe infecção. Os testes de laboratório, como uma contagem completa de células sanguíneas, uma análise à urina ou um teste de gravidez, podem indicar a existência de uma hemorragia interna, uma infecção ou uma gravidez etópica.


Em alguns casos, pode fazer uma ecografia, uma tomografia axial computadorizada (TAC) ou uma ressonância magnética (RM) dos órgãos internos. Também se pode recorrer ou à cirurgia ou à laparoscopia (um procedimento com um tubo de fibra ótica que permite o exame das cavidades abdominal e pélvica) para determinar a causa da dor.





Causas:


Vulvodínia como causa de dor pélvica
A vulvodínia descreve dor crônica ou desconforto na vulva. Esse tipo de dor pode ser diferente para cada mulher. A dor pode se mover ou ficar sempre no mesmo local. Ela pode ser constante, ou ir e vir.


Endometriose como causa de dor pélvica
A endometriose ocorre quando tecidos que deveriam revestir o útero crescem para fora dele. Esses tecidos freqüentemente crescem sobre superfícies ou órgãos na pélvis e abdômen, onde não deveriam estar. Os dois sintomas mais comuns de endometriose são dor e infertilidade.


Fibrose uterina como causa de dor pélvica
Fibrose uterina é o tumor não-canceroso mais comum em mulheres em idade reprodutiva. A fibrose é feita de células de músculos e outros tecidos que crescem dentro ou ao redor da parede uterina. Os sintomas podem incluir menstruação pesada ou dolorosa, dor durante o ato sexual, dor nas costas, entre outros.


Existe Tratamento?


Pode ser difícil encontrar a causa para a dor pélvica. O médico provavelmente pedirá alguns testes para descobrir a causa da dor. O tratamento dependerá da causa por trás da dor pélvica, além da intensidade e freqüência que a dor ocorre.


O tratamento pode incluir medicamentos para dor ou antibióticos. Para algumas condições médicas, o tratamento pode ser mais invasivo, como cirurgia para endometriose.

Um comentário:

  1. Não da pra ler o texto, com esse azul de fundo teria que ter escrito com a cor branca.

    ResponderExcluir

Para Segurança de nossas leitoras todos os comentários serão supervisionados antes de serem publicados.

Tire suas dúvidas, comente, mostre sua opinião.